Amigos recordam Luis Dantas

Partilhar
Share On Facebook

Numa manifestação espontânea um grupo de amigos rumou hoje ao cemitério Municipal de Ponte de Lima para aí prestar homenagem ao amigo Luis Dantas.

A morte prematura de Luís Augusto de Sousa Pereira Dantas, há 10 anos, deixou, na altura, consternados amigos e familiares.

Volvidos estes anos, Luis Dantas continua vivo na memória dos seus amigos, que hoje decidiram recordá-lo numa singela homenagem, com a deposição de um ramo de flores na sua campa.

Luis Dantas foi professor, escritor e historiador. Foi um homem de tertúlia e de humor refinado. Foi solidário e contador de histórias exemplar. Repescou figuras típicas da terra e deu-lhes texto com alma e graça. Luis Dantas era assim: simples, boémio e um apaixonado pela escrita.

A arte de escrever nasceu cedo tendo publicado neste jornal  (edição de 14 de maio de 1965), aos 19 anos, o seu primeiro texto intitulado Cenas da Aldeia, “numa prosa, carregada de literatura e inconformismo”.

Foi autor de vários livros, tendo iniciado pela poesia com “Pedras verdes” (em 1970) e de seguida com “Bolero” (1974).

Mais tarde optou pela pesquisa histórica, tendo sido autor de cerca de duas dezenas de títulos.

Luís Augusto de Sousa Pereira Dantas nasceu a 3 de agosto de 1946, em Ponte de Lima, e faleceu 20 de maio de 2011, em Lisboa.

Entre nós será sempre recordado pelos seus valores como pessoa e também como homem de cultura.