Ministra da Cultura inaugura recuperação da fachada da Igreja S. Domingos e Citânia

Após ter reunido com os autarcas do Alto Minho, em Viana do Castelo, Graça Fonseca, Ministra da Cultura, visitou a Igreja de S. Domingos, onde inaugurou as obras de conservação da fachada daquela igreja e, de seguida, inaugurou, ainda, as obras de conservação da Citânia de Santa Luzia, dois ex-libris culturais de Viana do Castelo.

O restauro da fachada de S. Domingos é uma obra orçada em cerca de 150 mil euros e que permitiu restabelecer a integridade física, histórica e estética do conjunto da fachada da Igreja, possibilitando a sua leitura evocativa e decorativa, para preservar a dimensão artística da fachada.

Esta intervenção permitiu a conservação e restauro da fachada do imóvel, bem como travar os fenómenos de degradação, minimizando, ou mesmo colmatizando,  as fontes dessa alteração. 

A obra, que contempla também a melhoramentos no adro, foi financiada pelo Norte 2020 e promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, em parceria com a Direção Regional de Cultura do Norte.

Após explicação detalhada de toda a fachada da igreeja e vista guiada ao seu interior, a governante visitou a recuperada Citânia, no Monte de Santa Luzia, uma obra que incidiu na estabilização e restauro das alvenarias dos diferentes sistemas estruturais que constituem a Cidade Velha de Santa Luzia.

Ao todo, foram investidos por parte da Câmara Municipal cerca de cem mil euros, conforme estabelecido no protocolo de colaboração celebrado entre a Direção Regional de Cultura do Norte e a Câmara Municipal na sequência do estudo de impacto ambiental de consolidação do parque empresarial de Lanheses.

A autarquia optou por alocar o investimento de cerca de cem mil euros no projeto de conservação das ruínas arqueológicas da Cidade Velha de Santa Luzia, em vez do estudo de impacto ambiental de consolidação do parque empresarial de Lanheses inicialmente previsto.

Segundo o município vianense essa alteração ao facto de ser necessário implementar medidas compensatórias referentes à salvaguarda do património existente no concelho de Viana do Castelo,

A intervenção observou as técnicas construtivas tradicionais, incluindo a colocação de elementos de travamento transversal com a dimensão e o espaçamento determinado em obra. O assentamento foi executado sem recurso à utilização de argamassas, evitando a utilização de elementos de fixação, de forma a constituir um aparelho com as características da alvenaria existente.

Instada pelos jornalistas sobre a recente manifestação de agentes culturais, em Lisboa, na qual teve destaque o ator Ruy de Carvalho, Graça Fonseca disse que “todas as reivindicações da plataforma [Convergência pela Cultura] têm uma resposta, com medidas que ou estão em curso ou que já foram implementadas. Esta é a minha resposta, que terei oportunidade, certamente, de lhes dizer frente a frente, numa reunião que será agendada para breve”.

A ministra lembrou que as linhas de apoio a entidades artísticas e de adaptação dos espaços às medidas de prevenção de contágio da covid-19 estão abertas até sexta-feira, assim como a linha de apoio social, adicional aos apoios concedidos pela Segurança Social a trabalhadores independentes da área da Cultura, destinada a artistas, autores, técnicos e outros profissionais.

Graça Fonseca aproveitou ainda a oportunidade para deixar o apelo aos portugueses para que vão ao teatro e ao cinema e visitem museus, monumentos e outros espaços culturais, sublinhando ser necessária uma “parceria nacional” para que, daqui a um ano, o setor cultural volte a ser sustentável.

Partilhar
Share On Facebook