Terça-feira, Junho 28, 2022

Ano 113 - Nº 5275

publicidade
publicidadepublicidade
InícioÚLTIMAS NOTÍCIASÀ "espreita" dos tsunamis

À “espreita” dos tsunamis

Ainda está vivo na memória de todos as imagens do tsunami ocorrido no Oceano Índico em 26 de dezembro de 2004 e que atingiu o Japão e países vizinhos.

O grau de devastação foi enorme e apanhou de surpresa as populações costeiras na região.

Resultante deste desastre natural, foi então criada uma Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO, da qual Portugal faz parte.

Em Portugal a prevenção e alerta de tsunami está a cargo da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção social (ANEPC) e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Apesar dos tsunamis não serem um fenómeno natural comum em Portugal, a sua prevenção revela-se vital para protecção das populações na eventualidade de um se verificar esse fenómeno.

A pensar nisso desenvolve-se hoje, dia 10 de Março, entre as 8,30 e as 14 horas, uma acção conjunta, designada NEAMWAVE’21, que visa testar a efetividade e o grau de prontidão do sistema de alerta para Tsunamis implementado na região do Atlântico Nordeste, Mediterrâneo e Mares Conexos (NEAMTWS, na sigla em inglês).

Trata-se de um exercício de comunicações durante o qual os diversos intervenientes de escalão nacional e internacional trocarão entre si notificações técnico-operacionais relacionadas com a eventualidade de um sismo responsável pela geração de um tsunami com impacto na costa portuguesa.

Portugal participa nas diferentes fases do exercício através da ANEPC, do IPMA, da Direção-Geral da Autoridade Marítima (DGAM), do Serviço de Busca e Salvamento Marítimo da Marinha (MRCC – Maritime Rescue Coordination Centre), do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, do Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira, dos Serviços Municipais de Proteção Civil e Corpos de Bombeiros dos concelhos litorais e estuarinos de Portugal Continental, bem como através de um conjunto de entidades responsáveis pela gestão de infraestruturas vitais das redes de energia, abastecimento de água, comunicações e rodo e ferroviárias.

Atualmente estão operacionais nesta região do globo cinco Centros de Alerta de Tsunamis: CENALT (França), INGV (Itália), KOERI (Turquia), NOA (Grécia) e IPMA (Portugal), que prestam o alerta às autoridades dos Estados Membros do NEAM em caso da eventualidade ou ocorrência de tsunami.

Artigos Relacionados
PUB

Mais Popular

Comentários Recentes