Sábado, Junho 25, 2022

Ano 113 - Nº 5275

publicidade
publicidadepublicidade
InícioACTUALIDADEBandeira azul volta a ser hasteada nas praias de Viana

Bandeira azul volta a ser hasteada nas praias de Viana

Em Portugal vão ser hasteadas bandeiras azuis em 360 praias e 8 são em Viana do Castelo.

Associação Bandeira Azul da Europa anunciou 360 praias, 18 Portos de Recreio/Marinas e 9 Embarcações Ecoturísticas galardoadas com Bandeira Azul pelo Júri Internacional em 2020, o que significa um aumento de 9 Bandeiras Azuis em relação a 2019. Estes resultados fazem com que Portugal, entre os 47 países que desenvolvem o Programa Bandeira Azul, se mantenha no primeiro lugar no que diz respeito à percentagem de praias galardoadas, face ao total de designadas do país.

Em Viana do Castelo são oito as praias do concelho que este ano voltam a hastear a bandeira azul. As praias contempladas com o galardão da Associação Bandeira Azul da Europa são a Arda (Mariana), Afife, Paçô, Carreço, Praia Norte, Cabedelo, Amorosa e Castelo de Neiva.

O Município de Viana do Castelo está já a preparar a próxima época balnear, com todas as condições de higiene e segurança, em conjunto com a Capitania de Viana do Castelo, a ARH Norte – Administração da Região Hidrográfica do Norte, APA – Agência Portuguesa do Ambiente e as autoridades de saúde

O Programa Bandeira Azul é um programa de educação para o desenvolvimento sustentável, promovido em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa, secção portuguesa da Fundação para a Educação Ambiental.

Este galardão tem como objetivo educar para o desenvolvimento sustentável em praias costeiras, fluviais e lacustre, portes de recreio e marinas e embarcações de recreio e ecoturísticas que se candidatem e cumpram um conjunto de critérios relacionados com Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água Balnear, Gestão Ambiental, Segurança e Serviços, Responsabilidade Social e Envolvimento Comunitário.

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade que distingue o esforço de diversas entidades em tornar possível a coexistência do desenvolvimento local a par do respeito pelo ambiente, elevando o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente marinho, costeiro e lacustre.

Artigos Relacionados
PUB

Mais Popular

Comentários Recentes