Segunda-feira, Julho 4, 2022

Ano 113 - Nº 5275

publicidade
publicidadepublicidade
InícioAMBIENTELinhas de financiamento para retirada de amianto nas escolas abertas hoje

Linhas de financiamento para retirada de amianto nas escolas abertas hoje

As linhas de financiamento para os municípios iniciarem o processo de remoção de amianto nas escolas públicas dos seus territórios, no valor de 60 milhões de euros, vão ser abertas a partir de hoje, anunciou o Governo.

Em comunicado hoje divulgado, o Ministério da Coesão Territorial revela que “abrem a partir de hoje as linhas de financiamento” para a retirada de amianto em 578 escolas.

De acordo com o documento, o financiamento destas obras, no valor de 60 milhões de euros, é assegurado a 100% por fundos europeus dos Programas Operacionais Regionais Norte 2020, Centro 2020, Lisboa 2020, Alentejo 2020 e CRESC Algarve 2020.

Depois de um trabalho de diagnóstico e identificação, foram assinaladas 578 escolas da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário passíveis de intervenção para a retirada de placas de fibrocimento com amianto.

O levantamento foi feito pelas áreas governativas da Educação e da Coesão Territorial, em articulação com as autoridades de gestão dos cinco Programas Operacionais Regionais do Continente e com as Comunidades Intermunicipais, Áreas Metropolitanas e municípios de todo o país.

Das 578 escolas distribuídas pelas cinco NUTS II de Portugal continental, 218 ficam no Norte e 163 na Área Metropolitana de Lisboa. Há ainda 107 escolas no Centro (NUTS II), 59 no Alentejo e 31 no Algarve.

Este programa para erradicar o amianto nas escolas foi anunciado no início do mês de junho, aproveitando o encerramento dos estabelecimentos de ensino devido à pandemia de covid-19.

A medida insere-se no Programa de Estabilização Económica e Social, permitindo a retirada do amianto destas instituições de ensino enquanto promove a dinamização económica do emprego ao nível local.

Segundo o comunicado, a medida é “o culminar de um trabalho iniciado na legislatura anterior, que, com fundos europeus do Portugal 2020, e num contexto de requalificação de edifícios escolares, permitiu já substituir coberturas com amianto em mais de 200 escolas públicas”.

A utilização de fibras de amianto foi proibida no quadro normativo nacional em 2005 e, até agora, os investimentos na requalificação e modernização de escolas permitiram proceder gradualmente à remoção de parte deste material, que ainda não foi totalmente eliminado dos estabelecimentos de ensino.

Artigos Relacionados
PUB

Mais Popular

Comentários Recentes