Sexta-feira, Agosto 12, 2022

Ano 113 - Nº 5275

publicidadepublicidade
InícioVALE DO LIMAVIANA DO CASTELOQuase 15 milhões serão investidos no apoio à população idosa

Quase 15 milhões serão investidos no apoio à população idosa

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, esteve hoje em Viana do Castelo para assinatura e entrega de contratos de comparticipação financeira no âmbito do programa PARES 3.0, programa de alargamento da Rede de Equipamentos Sociais.

No distrito de Viana do Castelo, o investimento global será de 14,807 milhões de euros, com o investimento público de 9,853 milhões, o que possibiltará a intervenção em 594 lugares em 17 respostas sociais.

Um desses investimentos é promovido pela Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo e permitirá o alargamento da resposta social da Estrutura Residencial para Pessoal Idosas (ERPI), no Lar de S. Tiago, em Monserrate, Viana do Castelo.

Após os melhoramentos previstos, esta ERPI passará a ter disponível mais 8 quartos, com a possibilidade de aumentar o número dos actuais 54 para 68 utentes.

Nesta ERPI o investimento global é de quase 345 mil euros, sendo que 235 mil euros representam investimento público, e “prevê a criação de 2 a 3 novos postos de trabalho”.

Segundo o parecer do Núcleo Executivo da Rede Social de Viana do Castelo “esta candidatura é de elevada pertinência, pois permitirá dar resposta a uma vasta lista de espera, bem como à necessidade crescente de cuidados de saúde e assistência às pessoas idosas”.

Ana Mendes Godinho aproveitou para manifestar o seu “profundo agradecimento” pelo empenho que todos demonstraram durante o período mais crítico da pandemia.

Para a Ministra “a pandemia deu-nos muitas lições”, tendo sido evidente que era “necessário priorizar a área social”, requalificando os espaços e alargando a capacidade dessa resposta.

Luís Nobre, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, destacou a dedicação e “o trabalho extraordinário no período da pandemia, para dar resposta às necessidades do território”, assegurando que as “IPSS fazem um trabalho transversal, desde a infância à terceira idade, que o Estado e o Município reconhecem”.

“Somos parceiros das IPSS e, na medida do que nos é possível, queremos apoiar as instituições e ajudá-las a ultrapassar os desafios que vão surgindo”, realçou Luis Nobre.

Artigos Relacionados
PUB

Mais Popular

Comentários Recentes