Sábado, Julho 2, 2022

Ano 113 - Nº 5275

publicidade
publicidadepublicidade
InícioVALE DO LIMAPONTE DA BARCAPassado, presente e futuro da Gaita de Bravães

Passado, presente e futuro da Gaita de Bravães

A Gaita de Bravães foi mote para uma conferência que decorreu no Auditório Municipal de Ponte da Barca, ontem sexta-feira.

A iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Ponte da Barca teve como orador Rafael Freitas, um dos membros da direção do grupo “Os Gaiteiros de Bravães”, que abordou o tema numa visão alargada do passado, presente e futuro daquele instrumento.

O orador apresentou o historial deste instrumento que foi durante séculos basilar nas festas minhotas, bem como dissertou sobre a sua experiência e os projetos que visam reavivar memórias e reativar esta tradição.

Nessa abordagem recordou as pessoas que estiveram ligadas ao passado da Gaita de Foles de Bravães, nomeadamente, recorrendo à apresentação de algumas fotos antigas exclusivas.

Hoje existem já pessoas que se reuniram esforços para reativar a Gaita de Bravães, apostando na aprendizagem da construção do instrumento de foles, bem como na aprendizagem do instrumento tradicional.

Para encerrar a sessão estava reservado um momento musical com a “prata da casa”, que juntou os Gaiteiros de Bravães com o Grupo de Bombos de S. Miguel, Entre Ambos-os-Rios.

Recorde-se que em 2020, o grupo de Gaiteiros de Bravães retomou o fabrico artesanal do instrumento para não deixar cair no esquecimento um ofício desenvolvido há meio século nesta aldeia de Ponte da Barca. Os instrumentos construídos são réplicas de uma gaita produzida, em 1950, por um construtor da freguesia, Emílio de Araújo. O instrumento original integra o espólio do Museu de Etnologia de Lisboa e está documentado nas recolhas do etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira, entre anos de 1960 e 1963.

Artigos Relacionados
PUB

Mais Popular

Comentários Recentes